top of page
Andando com Cães
  • Tópicos
  • Twitter
  • Whatsapp
  • Amazon
  • Instagram

Comece já!!

Passeio

Compreendo a importância do passeio com guia para os cães, e concordo que é fundamental considerar alguns pontos para tornar essa atividade agradável e segura tanto para o cão quanto para o tutor. Aqui estão algumas considerações sobre o assunto:

  1. Horários tranquilos: Escolher horários mais calmos para o passeio ajuda a reduzir o estresse do cão, especialmente se ele for sensível a ambientes agitados. Evitar as horas de maior movimento, como horários de pico, pode garantir uma experiência mais agradável.

  2. Desviar de estímulos estressantes: Se o cão se sente desconfortável ou reage negativamente a certos estímulos, é importante desviar dessas situações. Por exemplo, se ele fica ansioso perto de outros cães, evite áreas com muitos cachorros próximos.

  3. Ambiente controlado para cães soltos: Se o cão tem a oportunidade de ficar livre, é recomendado escolher um ambiente seguro e controlado, como um parque cercado para cães. Isso permite que ele explore e se exercite com menos riscos.

  4. Comandos básicos: Garantir que o cão responda bem aos comandos básicos, como "vem", "senta", "fica", etc., é essencial para a segurança e o controle durante o passeio. Isso ajuda a evitar acidentes e conflitos com outros cães.

  5. O comando "VEM": O comando "vem" é particularmente importante, pois pode ser usado para evitar situações perigosas ou desagradáveis durante o passeio. Se o cão obedecer prontamente ao comando "vem", o tutor pode chamá-lo de volta em situações potencialmente arriscadas.

  6. Socialização adequada: A socialização é importante para os cães, mas deve ser feita de forma controlada e gradual, especialmente se o cão não estiver acostumado a interagir com outros animais. O contato direto entre dois ou mais cães desconhecidos pode causar estresse ou conflitos.

Lembre-se de que cada cão é único e pode reagir de maneira diferente a diferentes situações. Observar o comportamento do seu cão durante o passeio e ajustar a abordagem conforme necessário é fundamental para garantir uma experiência positiva para ele e para você. Se necessário, considere a ajuda de um profissional de comportamento animal para orientações mais específicas.

Nem todos os cães são obrigados a passear, e é essencial respeitar as necessidades individuais de cada animal. Alguns cães podem ter condições físicas, médicas ou emocionais que tornam o passeio uma experiência estressante ou dolorosa para eles. Nesses casos, é importante adaptar as atividades e cuidados para garantir o bem-estar do animal.

Alguns cenários em que o passeio pode não ser adequado incluem:

  1. Cães idosos ou com problemas de saúde: À medida que os cães envelhecem, podem desenvolver problemas articulares, doenças crônicas ou outras condições que tornem o passeio desconfortável ou doloroso. Nesses casos, é fundamental respeitar os limites do animal e proporcionar outras formas de exercício e estímulo mental mais adequadas para sua condição.

  2. Cães com fobias ou ansiedade extrema: Alguns cães podem ter fobias a barulhos altos, pessoas desconhecidas, outros animais, entre outros estímulos. Forçá-los a passear em situações que provocam medo pode causar estresse e até mesmo agravar o problema comportamental. Nessas situações, é essencial trabalhar com um profissional de comportamento animal para ajudar o cão a superar suas fobias de forma gradual e segura.

  3. Cães com problemas comportamentais graves: Alguns cães podem apresentar comportamentos agressivos ou imprevisíveis em determinadas situações, o que pode tornar os passeios perigosos para eles e para outras pessoas ou animais ao redor. Nesses casos, é necessário abordar o problema comportamental antes de considerar o passeio como uma opção viável.

Para cães que não podem passear por motivos de saúde ou comportamento, existem outras formas de proporcionar enriquecimento físico e mental em ambientes controlados e seguros dentro de casa, como jogos, brinquedos interativos, treinamento de obediência, entre outras atividades.

Sempre é importante consultar um médico veterinário e/ou um especialista em comportamento animal para avaliar a situação específica do cão e receber orientações adequadas para garantir sua qualidade de vida e bem-estar. Cada animal é único, e as necessidades individuais devem ser respeitadas e atendidas da melhor maneira possível.

cães se aproximam de cães e outros quando tem escolhas

É interessante notar que os cães, assim como muitos animais, possuem um conjunto de comportamentos e sinais de apaziguamento que utilizam para facilitar a comunicação e evitar conflitos. Essas curvas apaziguadoras, também conhecidas como sinais de calma, são uma forma de comunicação não verbal que os cães usam para demonstrar que estão calmos, amigáveis e dispostos a evitar qualquer tipo de confronto.

A abordagem frontal entre cães é considerada mais desafiadora e pode, em algumas situações, gerar estresse ou mesmo levar a brigas. Quando um tutor deseja apresentar seu cão a outros cães, é importante fazer isso de forma cuidadosa e respeitosa, levando em consideração os sinais de calma e respeitando a linguagem corporal dos animais envolvidos.

Algumas dicas para introduzir cães de maneira tranquila podem incluir:

  1. Use GUIAS DE PELO MENO 2 METROS e não tencione.

  2. Permitir que os cães se aproximem naturalmente: Deixe os cães se aproximarem um do outro de forma gradual, sem forçar o encontro.

  3. Observar a linguagem corporal: Preste atenção nos sinais de calma que os cães estão demonstrando, como evitar o contato visual direto, bocejar, lamber os lábios, entre outros.

  4. Escolher um ambiente neutro: Opte por fazer a apresentação em um local que não seja familiar para nenhum dos cães, para evitar territorialidade.

  5. Utilizar técnicas de reforço positivo: Premie os cães com petiscos e elogios quando eles demonstrarem comportamentos amigáveis e calmos durante a interação.

  6. Monitorar a interação: Esteja atento ao comportamento dos cães durante a apresentação e, se necessário, interrompa a interação caso algum dos animais pareça desconfortável ou agressivo.

  7. Considerar a personalidade dos cães: Leve em conta as características individuais de cada animal, como idade, tamanho e temperamento, para facilitar a compatibilidade entre eles.

Lembrando que a socialização entre cães é importante para o seu bem-estar emocional e mental, mas deve ser feita com cuidado e respeito pelos limites individuais de cada animal. Se houver dúvidas ou preocupações sobre a apresentação entre cães, é sempre recomendado buscar orientação de um adestrador ou comportamentalista canino qualificado

363798165_1253423708691529_6492131357916073801_n.jpg

cães se aproximam de cães e outros quando não tem escolhas

A abordagem frontal entre cães é considerada mais desafiadora e pode, em algumas situações, gerar estresse ou mesmo levar a brigas. Quando um tutor deseja apresentar seu cão a outros cães, é importante fazer isso de forma cuidadosa e respeitosa, levando em consideração os sinais de calma e respeitando a linguagem corporal dos animais envolvidos.

A guia curta e tencionada provoca muitos comportamentos indesejados.

363804372_805080251120353_962967171286219945_n.jpg

Guias e coleiras

Leitura corporal

Guia longas e um peitoral confortável são fundamentais para garantir a segurança e o conforto dos cães durante os passeios e interações com outros animais. Vou abordar cada ponto separadamente:

  1. Guias longas: As guias longas são especialmente úteis para permitir que o cão tenha um pouco mais de liberdade de movimento e de escolhas, o que é importante durante os passeios. Elas proporcionam espaço suficiente para o cão explorar o ambiente, cheirar ao redor e ter um pouco mais de autonomia sem estar muito restrito. No entanto, é essencial ter controle sobre a guia e estar atento às situações, pois mesmo com mais liberdade, o cão ainda precisa ser guiado e protegido de possíveis perigos.

  2. Peitoral confortável: O uso de peitorais em vez de coleiras de pescoço é altamente recomendado, pois distribuem a pressão de forma mais uniforme pelo corpo do cão e reduzem o risco de lesões no pescoço e garganta. Além disso, o peitoral é mais seguro, especialmente para cães que puxam durante os passeios. Ele oferece maior controle sem causar desconforto ou danos ao cão.

Entretanto, vale lembrar que o uso da guia longa e do peitoral não substitui a necessidade de treinamento adequado e socialização. Um cão bem treinado responderá melhor aos comandos e terá um passeio mais agradável, mesmo com a guia longa. O treinamento é fundamental para ensinar o cão a responder seu tutor quando necessário aos comandos básicos e ter uma interação segura com outros cães e pessoas.

Peitorais para cães pequenos médio e grande porte

Guias longas

Kit passeio

363873584_817616523156497_5754594746672419741_n.jpg

Assim que voce chegar já prepare o kit, para que no dia posterior não aumente a ansiedade do cão na hora da saída do passeio. 

Atenção!!!

Passos até o passeio

Limite do treino

363840441_819611272807571_6920268701579524223_n.jpg

Treinar um cão é uma atividade gratificante, mas também requer muita responsabilidade e respeito pelos limites físicos e emocionais do animal. A abordagem correta visa desenvolver uma relação de confiança e respeito mútuo entre o dono e o cão, promovendo um treinamento eficaz e seguro. Portanto, o treino com cães deve ser realizado sempre dentro dos limites do animal, garantindo seu bem-estar e evitando quaisquer danos físicos ou psicológicos.

Aqui estão algumas diretrizes para garantir que o treino com cães seja feito respeitando os limites do animal:

  1. Compreensão das necessidades individuais: Cada cão é único, com diferentes temperamentos, habilidades e níveis de energia. Antes de começar qualquer treinamento, é fundamental compreender as necessidades específicas do cão, levando em conta sua raça, idade, histórico de saúde e personalidade.

  2. Respeito ao ritmo do cão: O treinamento deve progredir gradualmente, respeitando o ritmo de aprendizado do cão. Algumas habilidades podem ser aprendidas rapidamente, enquanto outras podem levar mais tempo. Forçar o cão a aprender algo muito rápido pode causar frustração e ansiedade.

  3. Reforço positivo: O uso do reforço positivo é uma abordagem altamente eficaz no treinamento de cães. Recompensar comportamentos desejados com elogios, carinhos e petiscos incentiva o cão a repeti-los e fortalece o vínculo entre o dono e o animal. Evitar punições físicas ou verbais é fundamental para não ultrapassar os limites do cão.

  4. Sessões de treinamento curtas e frequentes: Cães podem se cansar facilmente, especialmente durante o treinamento intensivo. Manter as sessões de treinamento curtas, mas frequentes, é mais eficaz para manter a concentração do cão e evitar estresse excessivo.

  5. Reconhecimento de sinais de estresse: É essencial que os donos aprendam a reconhecer os sinais de estresse e desconforto do cão. Lamber os lábios, bocejar em excesso, evitar o contato visual ou se afastar podem ser indícios de que o cão está se sentindo sobrecarregado. Nestes casos, é importante interromper o treinamento e permitir que o animal descanse.

  6. Prática da paciência e paciência: O treinamento de cães é um processo que requer paciência e dedicação. É importante lembrar que cada cão tem seu próprio ritmo de aprendizado, e forçar demais pode resultar em resistência ou reações negativas.

  7. Consulta a um profissional: Se houver desafios específicos no treinamento, procurar a ajuda de um profissional qualificado, como um treinador de cães ou um médico veterinário comportamentalista, pode ser uma decisão sábia. Eles poderão fornecer orientações personalizadas para garantir que o treinamento seja feito de forma segura e eficaz.

Sobre o respeito

Não esqueça !!!

Cães adormecidos

Respeite o sono do seu cão

É extremamente importante respeitar o tempo e o espaço do seu cão, especialmente quando se trata de seu sono e descanso. Assim como os seres humanos, os cães também precisam de uma quantidade adequada de sono para se recuperarem e manterem seu organismo equilibrado.

Os cães têm padrões de sono diferentes dos humanos. Enquanto os humanos têm ciclos de sono longos e contínuos, os cães geralmente têm ciclos mais curtos e interrompidos ao longo do dia. Isso significa que eles podem dormir várias vezes durante o dia, e é perfeitamente normal.

Interferir no sono do seu cão pode ter efeitos negativos em sua saúde e bem-estar. Assim como quando acordamos um humano no meio de um sono profundo, interromper o sono de um cão pode causar irritabilidade, estresse e até mesmo problemas comportamentais a longo prazo.

Os cães precisam desse sono fragmentado para descansar adequadamente, permitindo que seus corpos se recuperem, seus cérebros processem informações e suas energias sejam reabastecidas. Além disso, o sono é importante para o fortalecimento do sistema imunológico, a consolidação da memória e a regulação hormonal.

Portanto, é fundamental fornecer ao seu cão um ambiente tranquilo e seguro para que ele possa dormir sem interrupções sempre que precisar. Certifique-se de que ele tenha um local confortável para descansar e dormir, livre de barulhos e perturbações. Respeitar o tempo de sono do seu cão é uma forma essencial de cuidar dele e garantir que ele esteja feliz e saudável.

Filhote de cachorro de beber

Respeite a hora das refeições

Respeitar o tempo e o espaço do seu cão durante a alimentação e quando ele está com um osso ou brinquedo é essencial para evitar problemas comportamentais e garantir uma relação saudável entre você e o animal. Aqui estão algumas razões pelas quais isso é importante:

  1. Prevenção de agressividade: Alguns cães podem ser territoriais ou possessivos com seus recursos, como comida, brinquedos ou ossos. Ao permitir que o cão tenha seu espaço e tempo durante essas atividades, você reduz o risco de agressão direcionada a você ou a outros animais ou pessoas que possam estar por perto.

  2. Aprendizado de comportamento adequado: Ao respeitar o espaço do cão durante a alimentação e o tempo de brincadeira, você estará reforçando a confiança e a segurança do animal em torno de você. Isso pode ajudar o cão a se sentir confortável e não ameaçado enquanto se alimenta ou brinca.

  3. Evitar engasgos e problemas digestivos: Alguns cães têm o hábito de engolir rapidamente a comida, o que pode levar a engasgos ou problemas digestivos. Ao permitir que o cão coma em seu próprio ritmo e fornecendo brinquedos ou dispositivos que promovam uma alimentação mais lenta, você pode ajudar a prevenir esses problemas.

  4. Reforço positivo: Respeitar o tempo e o espaço do cão durante a alimentação e brincadeiras também pode ser uma forma de reforço positivo. Isso demonstra ao cão que você é confiável, respeitoso e um líder confiável, o que pode fortalecer o vínculo entre vocês.

Dicas para respeitar o tempo e o espaço do seu cão durante a alimentação e brincadeiras:

  • Evite perturbar o cão enquanto ele estiver comendo ou brincando.

  • Se você tiver crianças em casa, ensine-as a respeitar o espaço do cão durante essas atividades.

  • Considere oferecer a comida em brinquedos interativos, como bolas dispensadoras de ração, para promover uma alimentação mais lenta e estimulante.

  • Não tente tirar um osso ou brinquedo do cão à força. Em vez disso, use comandos de treinamento para ensiná-lo a soltar o objeto quando solicitado.

Lembrando que se você notar comportamentos agressivos ou possessivos excessivos em torno de comida ou brinquedos, é importante buscar a ajuda de um profissional, como um treinador de cães ou um veterinário comportamentalista, para lidar com essas questões de forma adequada e segura.

Dog Wash

Respeite o TOQUE 

Os cães têm diferentes preferências em relação ao toque em seus corpos quando comparados aos humanos e outros primatas. Enquanto algumas raças de cães podem ser mais tolerantes ao toque e carinho, outras podem ser mais reservadas e não apreciarem excesso de contato físico.

É essencial entender e respeitar as preferências individuais de cada cão. Alguns cães podem adorar carinho e afagos, enquanto outros preferem interações mais sutis e menos invasivas. Além disso, um cão pode não gostar de ser tocado em certas áreas do corpo ou pode não apreciar ser abraçado, por exemplo.

A socialização e o treinamento adequado podem ajudar a criar associações positivas com o toque e a interação física. Aqui estão algumas dicas para exercitar o toque de forma positiva com seu cão:

  1. Respeite os limites do cão: Observe o comportamento do seu cão para identificar se ele gosta ou não de ser tocado em determinadas áreas ou se prefere menos contato físico. Se ele se afasta, rosnar ou mostrar sinais de desconforto, é importante parar o toque e respeitar a vontade do animal.

  2. Toque suave e tranquilo: Quando acariciar seu cão, faça movimentos suaves e calmos. Evite toques bruscos ou invasivos, especialmente se o cão não estiver familiarizado com você.

  3. Use recompensas: Associe o toque a recompensas positivas, como petiscos ou elogios suaves, para que o cão perceba essa interação como algo agradável.

  4. Treinamento de obediência: Ensine comandos como "sentar" e "ficar", para que o cão aprenda a esperar antes de receber o toque. Isso pode ajudar a criar uma dinâmica mais respeitosa entre vocês.

  5. Respeite o momento do cão: Nem sempre o cão estará disposto a receber carinho, e isso é totalmente normal. Respeite o espaço e o tempo do seu cão, e ofereça toques apenas quando ele estiver receptivo.

Lembre-se sempre de que cada cão é único e pode ter diferentes preferências em relação ao toque e interação física. O importante é criar um ambiente de respeito, confiança e positividade para fortalecer o vínculo entre você e seu companheiro canino. Se tiver dúvidas ou notar comportamentos estranhos em seu cão, é recomendado consultar um veterinário ou um especialista em comportamento animal para obter orientação adequada.

Regenerate response

Voçê

é a pessoa mais importante para mudar o comportamento do seu cão

Na metodologia de treinamento para cães baseada no reforço positivo e apoiada pela ciência, o principal ator e responsável pela mudança de comportamento é o próprio cão. Essa abordagem respeita a capacidade do animal de aprender e tomar decisões, levando em consideração suas experiências passadas, motivações e emoções.

No treinamento com reforço positivo, o cão é motivado a aprender por meio de incentivos e recompensas que reforçam comportamentos desejados. Isso pode incluir elogios verbais, carinhos, brincadeiras e, especialmente, o uso de petiscos ou guloseimas como recompensas. Quando o cão realiza uma ação correta, ele é recompensado imediatamente, tornando-o mais propenso a repetir esse comportamento no futuro.

O tutor ou treinador é uma figura essencial no processo de treinamento, mas seu papel é o de um guia, facilitador e provedor de reforços positivos. Eles ajudam a ensinar ao cão quais comportamentos são desejados e quais não são, ao invés de impor obediência por meio de punições ou castigos. O objetivo é estabelecer uma comunicação clara e positiva com o animal, incentivando-o a fazer escolhas que resultem em recompensas agradáveis.

É importante destacar que o sucesso do treinamento com reforço positivo depende da compreensão do tutor sobre a aprendizagem canina, das técnicas de reforço adequadas e da consistência na aplicação do treinamento. O uso de punições ou métodos aversivos é evitado, pois podem causar medo, ansiedade e problemas comportamentais no cão.

Além disso, a ciência desempenha um papel fundamental na abordagem de reforço positivo, fornecendo evidências sobre como os cães aprendem, respondem a diferentes estímulos e interagem com seus ambientes. Estudos científicos ajudam a embasar as práticas de treinamento, fornecendo informações sobre as melhores práticas para criar um ambiente de aprendizado eficaz e respeitoso para os cães.

Em resumo, no treinamento de cães com base no reforço positivo e apoiado pela ciência, o cão é o protagonista do processo de mudança de comportamento. O tutor ou treinador atua como um guia e facilitador, utilizando reforços positivos para motivar e encorajar o cão a aprender e repetir comportamentos desejados. Essa abordagem fortalece o vínculo entre o cão e o tutor, criando um ambiente de aprendizado positivo e saudável.

Dog Walk

Contato

Estou sempre em busca de novas oportunidades de falar com você. Entre em contato.

(11) 999741968

bottom of page